Minhas gatas em lápis de cor

Olá!

Faz poucos dias que eu finalizei um desenho de uma das minhas gatas, então decidi trazer o resultado aqui no Vinho Tinta. Quem segue o Twitter do Vinho Tinta já conhece essas lindonas (se você não segue, aproveita a deixa ;D).

Ultimamente tenho tentado diversificar nos materiais e nos desenhos, para sempre sair da minha zona de conforto. Quando ganhei os lápis aquareláveis da Koh-I-Noor (já falei um pouco sobre eles aqui) eu quis experimentar fazendo um desenho da minha gata. Na época eu só tinha uma, a Capitu.

Capitu, girassois e janela. Lápis aquarelável Koh-I-Noor.jpg

Esse aqui foi meu primeiro desenho com lápis aquareláveis sem aquarelar. Usei uma folha de papel Canson 90g/m² em tamanho A4, fiz o esboço com lápis grafite 2B da Faber-Castell e pintei, como já disse, com lápis de cor aquarelável Mondeluz, da Koh-I-Noor.

Note como as cores são fortes. Isso me deixou encantada na época, embora eu ainda não entendesse muito bem como proceder com esses lápis. Como eu estava habituada apenas a lápis escolares (mais duros), levei um tempo para conseguir dosar a força e minha “mão pesada” me fez quebrar a ponta do preto muitas vezes.

Eu tinha grandes expectativas sobre o branco, esperava que ele se sobrepusesse às outras cores (mas acho que um lápis de cor branco com essa capacidade é uma utopia), o que não aconteceu. Apesar de não ficar tão branco quanto eu tinha esperança, ele aparece bem, como você pode perceber nas partes mais iluminadas.

Tentei dar um toque surrealista no desenho com essa janela que não tem razão de ser. Ela está na frente do vaso de girassóis, e não tem como ela estar lá, pois ela deveria estar fixada na parede, mas não está fixada em lugar algum.

Terminei esse desenho bem decepcionada com a textura do lápis de cor no papel. Ficou meio “grosso” e embaçado, o que não dá para perceber pela foto, mas ao vivo eu achei o desenho meio opaco. Além disso, nesse desenho eu já comecei a perceber que as cores não se misturavam muito bem quando eu usava muitas camadas (hoje eu já superei essa decepção. A redenção do lápis aquarelável sem aquarelar veio com esse desenho aqui) .

Na época em que eu estava terminando  o desenho da Capitu, a Aurora, minha outra gata, apareceu na minha vida.

lápis de cor.jpg

Eu fiquei com um enorme peso na consciência por ter um desenho de uma das minhas gatas e não ter da outra. Sei que elas não se importam, mas meu coraçãozinho de mãe se sentia mal por parecer que eu gostava mais de uma do que da outra, porque só uma tinha ganhado um retrato. Eu não sosseguei enquanto não consegui desenhar a Aurora também.

Para esse desenho eu usei papel Canson 224g/m² em tamanho A4, lápis de cor Polychromos, da Faber-Castell, Coloursoft, da Derwent e Prismacolor, além da caneta gel branca uni-ball Signo, da Mitsubishi. Usei esse papel mais grosso, pois tinha a intenção de fazer com lápis aquarelável e aquarelar depois, mas no meio do caminho mudei de ideia e decidi fazer com lápis de cor permanente. Estou simplesmente apaixonada  por esses lápis, eles se misturam muito bem (menos os da Prismacolor, esses parecem ter uma textura mais oleosa que não se dá muito bem com os outros lápis na hora da fusão; em compensação, os da Prismacolor conseguem se sobrepor aos outros, o que pode ser uma vantagem) e têm as cores muito bonitas. Além disso, esses lápis são muito macios e têm alta resistência à luz.

Ando querendo desenhar mais animais e aproveitar mais minhas gatas como modelos também, então haverá mais postagens sobre elas por aqui. Estou pensando, inclusive, em contar um pouquinho da história delas, ao invés de apenas escrever sobre os desenhos, como fiz hoje. O que acha? Conta para mim lá nos comentários!

 

Até mais,

 

 

Nani

 

Anúncios

Projeto Ilustra (abril)

Último dia do mês é dia de Projeto Ilustra!

Hoje a postagem vai ser curtinha, apenas para mostrar o resultado do desafio desse mês, que foi desenhar algo com o tema fundo do mar. Gostei muito desse tema, pois já fazia um tempo que eu estava com vontade de desenhar peixes (o fundo do mar abriga umas criaturas de cores e formas muito bonitas, não é?) e essa foi a deixa!

Simplesmente digitei “fundo do mar” no Pinterest e fiquei me maravilhando com o colorido vivo dos peixes. No final, um par de peixinhos amarelos se escondendo ganhou meu coração (você pode ver a imagem que utilizei como referência aqui).

Para esse desenho utilizei meu caderno de rascunhos, cujas folhas são de papel Canson 90g/m² (tamanho A5), lápis de cor aquareláveis Koh-I-Noor Hardtmuth Mondeluz e caneta gel branca Uni-Ball Signo. O resultado foi este:

peixes amarelos - lápis aquarelável koh-i-noor.jpg

Apesar de os lápis serem aquareláveis, utilizei como se eles fossem permanentes. Não vou falar muito sobre usar lápis aquareláveis sem aquarelar agora, pois estou escrevendo uma postagem só para isso, para mostrar tudo certinho, mas não gostei do resultado. Não pelo desenho em si, mas porque a pintura ficou granulada, as cores não se misturaram bem… definitivamente esses lápis não foram feitos para isso (embora aquarelando eles sejam perfeitos. Nessa postagem você pode ver como as cores se comportam bem em contato com a água).

Espero que tenha gostado!

Está participando do Projeto Ilustra também? Posta o link do seu fundo do mar nos comentários para a gente ver!

Aproveita e segue lá o Twitter do Vinho Tinta 😉

Até mais,

 

Nani